A CARTA NÃO ENVIADA

 

“Às vezes escrever uma só linha basta para salvar o próprio coração.”

Clarice Lispector

 

Esta é uma sugestão de exercício de autoconhecimento para quando você estiver com tantos sentimentos fortes em relação a certa pessoa, que sente dificuldade ou impossibilidade de falar tudo o que sente...

 

Exercício de escrita terapêutica: A carta não enviada:

 

  • Escolha uma pessoa que o relacionamento tenha sido um desafio.
  • Escreva uma carta, à mão, colocando todos os seus sentimentos em relação a esta pessoa. Escreva tudo que você sempre quis dizer para esta pessoa.
  • Importante: Não entregue a carta – o objetivo é você expressar os seus sentimentos, aliviar a carga emocional, liberar energias bloqueadas.
  • Queime a carta. (Se estiver em psicoterapia, pode fazê-lo junto do seu terapeuta)
  • Este é um exercício de autoconhecimento, perceba como você se sente no processo.

 

Escrever é uma forma eficiente de organizar os seus pensamentos e expressar os seus sentimentos mais profundos.

Se você tem um problema com alguém, esse problema é seu, não do outro. Com a técnica da carta não enviada, você resolve o problema, dentro de você. Isso traz mais clareza, mais leveza, mais bondade. Não é o outro que precisa mudar, mas sim a maneira de você enxergar a situação.

Se você está em conflito com alguém, experimente escrever sobre isso. Faça da escrita a sua autoterapia. Escrever traz alívio, clareza e calma. Com mais serenidade, e depois de uma boa noite de sono, você poderá avaliar se ainda há algo que de fato vale a pena falar.  Muitas vezes, a prática da carta não enviada é suficiente para acalmar o seu coração. E um coração que está em paz, vê festa em todas as aldeias (provérvio hindu)!

 

Com carinho, Gabi

Psicoterapeuta Transpessoal

cadernodagabi@gmail.com

3 comentários

  • Gabi querida , quero escrever muuuuuito!!!!!👏👏👏👏

    • Escreva, querida, escreva!!!! 🙂

  • Gostei muito das dicas quero prática lá…

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário