Navegando "Autoconhecimento"

Você tem fome de quê?

De acordo com a filosofia indiana do Ayurveda, a “ciência da vida”, considera alimento não apenas a comida que ingerimos, mas também aquilo com que alimentamos os nossos órgãos dos sentidos. Assim sendo, trago a seguinte reflexão: O que você anda vendo, escutando, saboreando, tocando e cheirando?

Uma boa digestão favorece uma boa saúde. Como você está digerindo os acontecimentos da sua vida? É importante conseguir metabolizar aquilo que recebemos através dos nossos sentidos físicos. Metabolizar as emoções e os pensamentos também é fundamental para a saúde psicológica.

Quando não conseguimos digerir satisfatoriamente os alimentos, experiências, emoções, pensamentos e percepções podem acumular toxinas físicas e emocionais. Como você está purificando o seu corpo físico e emocional?

Por meio dos sentidos interagimos com o mundo. Nosso corpo é o nosso guia nesta realidade física. Mente e corpo estão em conexão, interligados pelo princípio da vida. Como você percebe a sua conexão mente e corpo?

Lembre-se de alimentar não apenas o seu corpo, mas também a sua alma… Alimente todos os seus sentidos… Sabores saudáveis para o seu paladar, sons harmoniosos para os seus ouvidos, toques suaves no seu tato e bonitos atos… Sinta aromas da natureza para felicitar o seu olfato. Veja a beleza em tudo e todos, para celebrar a sua visão criativa… Respire arte, nutra-se de abraços, alimente-se de músicas orgânicas, veja o céu, o sol, o som… Saboreie a vida…

Descubra os anseios do seu corpo e da sua alma… Alimente-se daquilo que te faz bem a nível físico, emocional e espiritual. Preencha-se de energia vital, de beleza, de alegria e natureza. Seja o seu próprio fruto de felicidade!

Trago aqui um singelo convite. Escolha alimentos saudáveis para os seus órgãos dos sentidos. Complete o quadro abaixo com alimentos/práticas/ações/experiências que possam nutrir o seu corpo como um todo.

 

tabela
Além disso, acrescente à sua lista o seu ALIMENTO ESPIRITUAL, alguma prática que pode te conectar com a sua essência espiritual, independente da religião, mas enquanto experiência transpessoal, que vai além do seu ego, em direção à sua alma, como por exemplo: orar, meditar, contemplar ou simplesmente apreciar a beleza do silêncio. Os sentidos nos conectam com a sensação do presente, e a alma nos envolve na presença eterna do aqui e agora.

Espero que tenha gostado da reflexão para nutrir-se como um todo…

Vou adorar saber os seus insights, percepções e que alimentos você escolheu para tornar a sua semana mais saudável e feliz.

Com amor,
Gabriele Ribas
Psicoterapeuta Transpessoal
cadernodagabi@gmail.com

A estrada da vida

Quando dirigimos não vemos toda a Estrada
Mas seguimos em frente, confiantes que ela continuará
Alguém ali passou, outrora, e fez um caminho
E por mais que não o vemos todo, sabemos que lá está
E tudo que nos resta é segui-lo.

Assim também é a nossa vida
Não podemos apreendê-la por completo, do início ao fim
Mas sabemos que temos um caminho a seguir
A cada respiração, é como a visão da estrada
Seguimos confiantes, que após expirar, seguirá o inspirar
Assegurando nossa existência

Na estrada da vida, escolhemos como trilhar
Pode ser uma viagem curta, ou longa
E cada um vai e volta sozinho
Encontramos muitas coisas no caminho
Ás vezes até pedras, as quais podemos usar para montar nosso castelo

Ás vezes nos perdemos, mas só quem está perdido é que pode se encontrar.
E quando sabemos que estamos na direção certa, estampamos um sorriso no rosto
Respiramos profundamente, sentindo cada momento único
Cada movimento vital do corpo, da vida.

caminhar1

E então descobrimos que não há lugar nenhum para chegar
Que a felicidade não é o destino, mas o modo de percorrê-lo
Que longe é um lugar que não existe
Que quando estamos na essência do nosso ser, temos tudo o que precisamos

Só existe o presente
O aqui-agora é o lugar mágico, aonde tudo acontece

E quando nossa jornada terminar, num último suspiro
Será a passagem para uma nova forma e dimensão
Mas o que realmente somos, estará para sempre…
Em nossa alma e coração.

estrada-2Bda-2Bvida

Gabriele Ribas, 2009

Viva a sua essência

Abandone as máscaras
Viva a sua essência
De todas as faces,
Escolha a transparência.

Seja quem você é
Viva a sua verdade
Seja congruente
Cultive a autenticidade

Agradeça ao passado
Celebre com a natureza
Abrace sonhos e pessoas
Aprecie toda a beleza

Ande confiante e leve
Viva com simplicidade
Suavemente, voe
E desfrute da liberdade

Permita-se criar
Viva plenamente cada instante
Valorize a sua existência
A sua vida é muito importante

Viva, comemore-se!
Respire a emoção…
Aproveite este momento
Para ouvir seu coração.

Seja a sua essência
Realize a sua alma
Liberte-se da ansiedade
No presente nasce a calma

Isento de pré-ocupações
Confie no futuro
Comprometa-se em viver
O seu desejo mais puro

A essência manifesta
A bela luz do coração
É a ponte para a alma
Que conduz à nossa missão.

Viva a sua essência
Crie o seu sentido de viver
Não copie passos alheios
Encontre o seu próprio saber

Permita-se vivenciar
A sua verdadeira essência
Que ela se manifeste plenamente
Na sua singela existência

Cale a voz do medo
Do receio, do julgamento;
Apague as críticas
Despeça-se do sofrimento.

Escolha a sua essência
O centro do seu ser
Seu templo sagrado
Convida-te a florescer

Revele o seu perfume
A sua nota, a sua cor,
O seu passo, o seu compasso,
O seu toque, o seu sabor.

Aceite a sua grandeza
Reconheça o seu valor
O divino te habita
E te saúda com infinito Amor

Viva a sua essência
E quando essa jornada terminar
Sorrirá, pois valeu à pena…
Ser essência, ser amor, ser amado e amar!

Gabriele Ribas, jan 2015

Gabriele Ribas, escritora, psicoterapeuta e coach
E-mail: cadernodagabi@gmail.com
Instagram: @cadernodagabi
Blog: www.cadernodagabi.com.br
Fan Page: www.facebook.com/cadernodagabi

Na onda dos livros de colorir para adultos

Vamos Colorir?

Os livros de colorir para adultos estão fazendo o maior sucesso. Como uma assídua visitante de livrarias, eu não pude deixar de notar a ênfase que se tem dado a este estilo de livro. Também não é raro eu estar passeando pelas estantes de livros e ouvir comentários sobre o Jardim Secreto e a Floresta Encantada. Passeando pelas redes sociais também observei belíssimos desenhos coloridos: mandalas, flores, animais e muitas cores!

Como arteterapeuta, só posso ficar feliz com este movimento que traz mais cor, beleza e criatividade para os nossos dias. As expressões artísticas tornam a vida mais bela e leve: dançar, cantar, pintar… Enfim, expressar-se criativamente! Quando criamos algo, nos transformamos no processo. A arte é um belo caminho de autoconhecimento e autocriação.

Eu lembro que quando eu era criança, adorava livros de colorir… Sinto que esta prática de livros de colorir para adultos pode nos ajudar a conectar com a nossa criança interior, com a sua leveza lúdica, colorida e criativa. Outro benefício que vejo é que os desenhos com pequeninos detalhes exigem uma atenção concentrada, e podem funcionar como um tipo de meditação criativa e como um exercício de atenção plena.

Muitos livros de colorir sugerem ser uma prática anti-estresse, e acredito que podem de fato diminuir a ansiedade e a agitação mental, especialmente, por ser uma atividade manual lúdica e agradável. Atividades manuais criativas, como por exemplo, colorir, desenhar, pintar, bordar, etc., podem trazer bem estar, relaxamento e satisfação pessoal.

Entretanto, como dizia Jung: Uns sapatos que ficam bem numa pessoa são pequenos para outra, dessa forma, não existe uma receita para a vida que sirva para todos.

Assim sendo, nem todos vão ter vontade, concentração, destreza ou paciência para colorir desenhos minuciosos, inclusive pode ser uma atividade desgastante para aqueles que não estão em sintonia com esta prática.

Também é importante diferenciar o livro de colorir do processo arteterapêutico, o qual é mediado por um profissional com treinamento tanto em arte como em terapia. O arteterapeuta conhece o potencial curativo e transformador da arte. A Arteterapia é uma terapia expressiva que valoriza a expressão criativa livre e espontânea, sem preocupação com a estética nem com a técnica. Incentiva-se a expressão pura, autêntica e original, que emerge da essência do ser. A partir da arte, o processo terapêutico se desenvolve, se aprofunda, se revela. O arteterapeuta é o mediador do processo criativo, e seu papel é catalisador da transformação.

Sim, colorir imagens pode ser terapêutico, na medida em que a pessoa se sente bem fazendo isso, tanto quanto pode ser terapêutico dançar, cantar, ouvir música, caminhar ou tomar um banho relaxante. Mas é importante ressaltar que a Arteterapia é um processo, não um produto. Colorir é uma entre multi possibilidades expressivas da Arteterapia, que incluem a música, a expressão corporal, a dramatização, a pintura, a colagem, a modelagem em argila, a escrita criativa, entre outras expressões artísticas.

Finalizo com uma sugestão de dinâmica com sete passos como sugestão para potencializar os efeitos positivos da expressão artística em livros de colorir para adultos.

1.     Crie um ambiente acolhedor: Um local arejado, confortável e agradável. Um momento para estar consigo mesmo. Pode escolher uma música relaxante da sua preferência. Quem gosta pode acender um incenso perfumado ou colocar um aromatizador de ambientes.
2.    Escolha a imagem que você deseja colorir: Desenhos grandes podem dar a sensação de expansão, desenhos com muitos detalhes exigem mais minúcia e acuidade visual. Colorir mandalas pode trazer mais centramento; imagens da natureza podem trazer harmonia. Cada sensação depende da pessoa e do seu momento pessoal.
3.    Materiais variados à mão: Lápis coloridos, canetinhas, e o que mais couber na sua imaginação! Quanto mais cores, mais possibilidades de variar.
4.    Auto-observação: Todo processo criativo pode ser permeado pela observação de si: como se sentia antes, como sentiu-se durante e após colorir a imagem escolhida.
5.    Colorindo-se: Dar cor à imagem e à vida, livremente, do seu jeito. Sem preocupar-se se está certo ou errado, bonito ou feio. Sem juízo de valor, apenas pelo bem estar da atividade em si, em conexão consigo mesmo, as cores e o papel.
6.    Observação de si e da imagem: Como se sente no processo? Que imagens mentais emergem? Que pensamentos? Que sentimentos? Perde a noção do tempo? Alguma ansiedade? Planeja antes de pintar ou vai colorindo espontaneamente? Como se sente se borrar a imagem? É perfeccionista? Sente-se cansado? Pinta com força ou suavidade? Quais cores sobressaem?
7.    Reflexões e anotações: Escreva livremente após ter colorido a sua imagem. Deixe as palavras brotarem espontaneamente, sem julgamento ou preocupação. Depois observe seu desenho e sua escrita, veja-se neste processo criativo. Faça as suas reflexões e anotações pessoais.

Gabriele Ribas
Psicoterapeuta e Coach;
Mestra em Saúde e Gestão do Trabalho
Especialista em Arteterapia e Psicologia Transpessoal

Aprendendo a ser Mãe de si mesma

A MÃE INTERIOR

Na mitologia grega, a deusa Deméter personifica o arquétipo da mãe. Conhecida como Ceres na mitologia romana, a deusa do cereal é a mãe receptiva, amorosa e nutridora. É a deusa que encoraja, motiva, acolhe, persevera, cuida, afaga, abraça, doa, alimenta e compartilha com ternura, altruísmo e profundo amor maternal.

Deméter é a mãe de Perséfone, jovem que foi raptada por Hades, o deus do submundo. Tamanha foi a tristeza de Deméter ao saber do paradeiro da sua filha, que todas as plantas secaram, num inverno frio, sem vida, sem alimento…

Com a persistência maternal, Deméter felizmente conseguiu resgatar Perséfone. Contudo, como a filha havia comido sementes de romã no inferno, Perséfone teve que ficar metade do ano com Hades, vivendo como a rainha e guia dos mortos. E durante a primavera, Perséfone floresce com a mãe Deméter, num verão quente e sorridente por belos jardins e terras floridas.

O arquétipo de Deméter está presente em homens e mulheres que se doam através da nutrição física, psicológica ou espiritual. Especialmente nas mulheres, Deméter desperta o instinto maternal, a generosidade, a delicadeza, o amor pelo cuidado, a nutrição, a educação, a ajuda, o conforto, o altruísmo, a entrega.

O instinto maternal não é restrito a ser mãe biológica. A expressão do amor maternal transcende o nível físico, transcende a espécie humana e abarca todas as possibilidades de afeto, carinho, cuidado e zelo.
A jovem que alimenta o seu animal de estimação como uma mãe zelosa. A filha que cuida da sua mãe anciã com a mesma ternura que outrora fora cuidada.

A mulher que se entrega ao trabalho de parto com coragem e força feminina. A mãe que olha nos olhos brilhantes do seu bebê pela primeira vez. A mãe de coração, que recebe nos braços o seu filho adotado como um presente divino. A professora que ensina com paciência e afeto. A cozinheira que nutre com alimento e amor. A jardineira que floresce abraços e sorrisos perfumados.

A cuidadora que trabalha por vocação, a amiga com abraço maternal, a irmã sempre presente e disponível, a conselheira que educa com o coração, a voluntária que se doa de corpo e alma, a terapeuta que escuta com empatia e acolhe com atenção.

São todas mulheres-deusas-Deméter. Mulheres encantadoras, dedicadas e amorosas que personificam a deusa mãe. São mulheres que foram tocadas pelo arquétipo da Deméter. Tendo ou não filhos, são maternais.

Talvez elas tenham tido um grande exemplo de mãe, talvez outra mulher tenha sido a sua inspiração, ou ainda, tenham aprendido por desejo de receber o afeto. Seja como for, nelas há a mãe interior. Em todo homem, em toda mulher, habita uma mãe interior.

A mãe interior é a nossa ponte para o amor incondicional. A pureza deste amor quer entregar o melhor ao outro. Contudo, é essencial lembrar que podemos nos servir de Deméter a nosso próprio favor também.
Aprender a cuidar de si mesma. Aprender a amar a si mesma. Acreditar que merece ser feliz. Buscar o que é bom, belo, verdadeiro, saudável e elevado.

Ser mãe de si mesma. Cuidar-se, amar-se, ouvir-se, tocar-se, abraçar-se, nutrir-se, equilibrar-se, encontrar-se, criar-se.

Que a sua mãe interior permita-se ser plena e reconheça a dança das múltiplas deusas. Cada deusa revela um aspecto especial para a mulher. Em especial, a Deméter nos nutre de amor e carinho maternal. Que possamos ser mães de nós mesmas, que possamos cuidar dos outros tão bem quanto cuidamos de nós.

Que a deusa brilhe amor em você!

Gabriele Ribas
Psicoterapeuta Transpessoal
cadernodagabi@gmail.com

Agradeça o corpo: meu primeiro aprendizado na Índia

Há aproximadamente um ano atrás (abril/14) eu tive a oportunidade de realizar um grande sonho: viajar para a Índia. Foi uma experiência de grande crescimento e transformação pessoal. Além do passeio místico-cultural também realizei um curso de Psicologia Budista Tibetana, em Dharamsala.

A viagem para a Índia foi longa e cansativa… Logo no avião eu já comecei um grande exercício de paciência: o homem que sentou ao meu lado roncava alto, a viagem toda!!! Eu levei cada susto!!! Outra coisa: Apesar de eu ser vegetariana, não estou acostumada com temperos indianos. A comida servida estava tão apimentada que pouco consegui comer. Mas eu estava tão feliz indo realizar o meu sonho que esses eram meros detalhes do caminho…

Chegando em Deli, a alegria não cabia em mim, era de madrugada e seguimos direto para o hotel, recepcionados com belos colares floridos e suco de frutas. Teríamos algumas horas para dormir e logo começaríamos o primeiro passeio para conhecer a cidade.
Eu estava muito entusiasmada, achava que nem precisaria dormir, já queria sair e passear por tudo… Contudo, chegando ao quarto do hotel, tomei um banho relaxante e dormi profundamente.

Acordei num sobressalto… A minha colega de quarto avisou que tínhamos meia hora para nos arrumar, tomar café e o ônibus estaria nos esperando em seguida. Acontece que… O mundo estava GIRANDO!! Ah, eu estava completamente tonta, sentindo-me intensamente enjoada. Tudo parecia girar e eu simplesmente não conseguia ficar em pé. Falei que eu não conseguia descer para o café da manhã, que eu ficaria mais um pouco na cama para tentar me sentir melhor.

Procurei respirar fundo… Afundei-me naquele mal estar…
– O que está acontecendo? – pensei – Poxa, vim até aqui, na Índia… E agora não consigo nem levantar da cama?!.
‘Escaneei’ mentalmente todo o meu corpo, buscando alguma energia ao menos para eu me levantar um pouco, mas não consegui. Fiquei parada, imóvel. Aceitei. Então conclui:

– Eu não vou a lugar nenhum sem o meu corpo!
Essa constatação de certa forma me trouxe paz.

A campainha do quarto tocou. Eu precisava atender, mas como? Esforcei-me para levantar, parecia que eu pesava toneladas… Fui me segurando pela parede, vendo tudo girar. Abri a porta e corri para me afundar na cama novamente.
Era a professora/guia da viagem, junto com outra colega do grupo. Quando me viram notei que se assustaram… Não sei qual era a cor da minha pele naquele momento… Devia estar assustadoramente pálida! Ouvi a professora comentar algo sobre acionar o seguro de saúde da viagem. A colega sugeriu aplicarem Reiki… A voz delas estava cada vez mais longe…

Senti um calor trazendo uma boa energia, abri os olhos e vi que elas estavam impondo as mãos sobre mim. Faziam alguma afirmação positiva, motivadora e vibrante. Em poucos minutos comecei a me sentir melhor. O mundo parou de girar (ao menos na minha visão). A náusea foi diminuindo e consegui sentar. Elas haviam trazido o café da manhã, consegui comer um pouco e senti que novamente habitava o meu corpo.

Havia perdido a noção do tempo. O ônibus só estava me esperando. Vesti-me rapidamente e desci com elas. Uau! Meu primeiro dia na Índia já estava sendo intenso. O dia correu bem e fiquei muito feliz que consegui superar aquele mal estar. Fiquei imensamente grata às queridas que me ajudaram. Agradeci profundamente o meu corpo. Agradeci a vida! Vi-me tão frágil e tão forte em minutos. Confiei que este aprendizado devia fazer parte do processo. E de fato, a viagem para a Índia, mais do que uma experiência espiritual, foi uma vivência integral: reconhecer a importância do corpo, da psique e do espírito, como um todo, na harmonia da totalidade no presente.

Nosso corpo é a nossa casa, nosso lar. Precisamos dele para viver neste mundo.  Nosso corpo é o nosso templo sagrado. Cuidar do corpo de dentro para fora, e de fora para dentro. Nutri-lo com respiração profunda, alimentos saudáveis… Hidratá-lo… Amá-lo… Conferir-lhe o devido repouso e descanso. Escutar o corpo, as suas necessidades reais, seus avisos. Decifrar a sua linguagem simbólica. O corpo pode ser um caminho de transformação. Verdadeiro guia dessa viagem da vida. O corpo fala, mas se não o escutarmos: ele grita! Escutar a voz silenciosa do corpo é conectar com a profunda sabedoria interior. É ouvir a intuição materializada nas sensações físicas.

Que possamos lembrar-nos do corpo como uma celebração, e não (somente) no momento da dor reconhecer o seu valor.
Que a gratidão seja diária… de corpo e alma!

Assim sendo, o convite é que possamos agradecer o nosso corpo. Com suas dores, seus temores, suas perfeitas imperfeições… Com sua vitalidade, energia ou fadiga… Agradecer cada parte do corpo, e o corpo como um todo… Preencher de gratidão cada respiração que anima este corpo abençoado de Vida!

Convite Para Refletir: Como você está cuidando do seu corpo? Com o que você está nutrindo o seu corpo? Que alimentos você tem escolhido para nutrir-se? Tem dormido o suficiente? Quantos copos de água você toma por dia? Quais as suas atividades físicas diárias? Tem escutado seu corpo? O que o seu corpo fala sobre você? O que você pode fazer hoje pela sua saúde integral? O que realmente faz bem para o seu corpo?

Mente sã em Corpo são.

Gabriele Ribas, abril 2015
Psicoterapeuta Transpessoal
cadernodagabi@gmail.com

O antídoto da irritação

Todo mundo já deve ter tido um dia mal-humorado, em que se sentiu irritado e tudo parecia dar errado. Dia assim, meio nublado, em que tudo incomoda e parece difícil sair dessa sintonia.

O carro quebra, você está atrasado, derrubam café na sua camiseta, cortam a sua frente no trânsito, você estraga a unha que acabou de pintar, acorda com o barulho da furadeira do vizinho que está em reforma…
Ou então… Simplesmente você se irrita com alguém: com o namorado, por algo que ele fez… Ou com o marido, por algo que ele deixou de fazer. Talvez você esteja se aborrecendo consigo mesmo, e nesses dias o mundo parece uma bola cinza.

Mas então… Haveria um antídoto para a irritação? Uma fórmula para curar as reclamações? Um remédio para curar o mau humor?

Sim! (Ufa…)

Conta um sábio  antigo que o grande antídoto da irritação e de outros males é a GRATIDÃO. A gratidão tem o poder de transformar a tristeza em alegria. Transmutar o pensamento negativo em positivo. Troca o mau humor pelo melhor estado de espírito possível.

O segredo é se focar nas coisas boas da sua vida. Perceber, observar, reconhecer e agradecer todas as dádivas que a vida te oferece, mesmo que sejam oportunidades disfarçadas de desafios.

O mundo está cheio de graças e bênçãos. Muitas vezes estamos tão ocupados com pequenos problemas que nos esquecemos de trazer um olhar mais amplo na situação. Já está tudo ali. Basta ver.

Afinal, o carro bateu, mas você está bem. Você pode trocar a camiseta suja. Pode retocar o esmalte. E o barulho é um despertador… É hora de acordar! Despertar e ver que a reforma é passageira e o prédio vai ficar lindo. Despertar para fazer uma reforma íntima. A sua mudança começa dentro de você! Quando você muda, o mundo se transforma!

Da próxima vez que bater o desânimo ou a irritação, lembre-se de olhar a sua volta e encontrar motivos para agradecer, e não para reclamar. Reforce o lado positivo assim o negativo logo vai desaparecer. Resolva o que precisar, criativamente. Permita-se transbordar-se de gratidão. E sorria sempre, pois assim a vida fica muito mais bela, não é mesmo?
Gabriele de Oliveira Ribas

Mestra em Saúde; Psicoterapeuta e Coach;

Especialista em Arteterapia e Psicologia Transpessoal.

Contato: cadernodagabi@gmail.com

A letra das pessoas

Recentemente iniciou no Instagram um movimento incentivando que as pessoas compartilhassem as suas letras.

Pelo que eu li, começou com alguém divulgando uma lista de compras feita à mão (confesso: as minhas listas de compra são TODAS feitas à mão, não consigo me adaptar ao bloco de notas do celular!!) e uma reação em cadeia espalhou a escrita cursiva pelo Instagram e Facebook.

Uma coisa que a gente não conhece mais: a letra das pessoas! Qual é a sua?

Esta frase está pipocando pela internet, está sendo muito interessante conhecer a verdadeira “letra das pessoas”… Nossa letra é a nossa assinatura pessoal. Condiz com a nossa personalidade, nosso jeito de ser, de pensar, de agir.

Isto me lembra da Grafologia, que é o estudo da personalidade através da análise da caligrafia da pessoa. Da mesma forma que cada indivíduo tem uma impressão digital única, a grafologia entende que cada caligrafia é singular!

Entretanto, hoje em dia muitas pessoas estão tão habituadas com o mundo dos tablets e smartphones, que escrever à mão parece algo do passado. #sqn

Dessa forma, eu fiquei suuuper entusiasmada com este movimento da #minhaletracursiva e #aletradaspessoas.

Eu sempre adorei escrever à mão… Não me traumatizei com as aulas de caligrafia e adoro a minha letra!! Eu escrevo bastante pelo computador, mas não deixo de escrever à mão! Aliás, eu escrevo diariamente, no meu caderno e querido diário!!

Ao longo dos anos, fui desenvolvendo muitas práticas de autoconhecimento através da escrita. Muitas dessas ferramentas eu compartilho no ESCREVA-SE: Oficina On-line de Escrita Autêntica, que é um curso prático para nos tornarmos autores da nossa própria vida!

Nesta oficina, oriento que os participantes escrevam diariamente à mão… A cada semana eu compartilho novas técnicas de escrita espontânea, criativa e terapêutica, e os resultados tem sido surpreendentes!

Assim.. Pegando a onda do incentivo da escrita à mão, vou deixar aqui uma sugestão para você… Não apenas ESCREVER à MÃO… Mas escrever as SUAS IDEIAS!

Há frases que nos identificamos tantos que parece que poderíamos tê-las escrito! Há textos que retratam nossos pensamentos. Mas… E a SUA frase, e o SEU texto?

O meu convite é que você mesmo escreva uma frase, um pensamento ou texto… Melhor ainda se for à mão… E compartilhe a sua #escritaautentica nas suas redes sociais!

E aí, vamos incentivar a criatividade e  a autenticidade?

Compartilhe comigo também, vou adorar ver a sua escrita autêntica!

Com carinho, Gabi!

Gabriele Ribas
Psicoterapeuta e coach

O Mês de Março e o Caminho do Guerreiro

Você sabia que o mês de março recebe este nome em referência a Marte, o deus romano da guerra?  No hemisfério norte, nesta época do ano inicia a primavera, logo, viabilizava que as tropas se mobilizassem a ação, daí a relação do mês de março com Marte, o deus guerreiro.

Marte, também conhecido como o planeta vermelho, bem como o deus Marte, ambos são associados a esta cor quente e intensa. Marte representa o arquétipo (imagem primordial presente no inconsciente coletivo) do guerreiro, ele simboliza o poder, a força que motiva a ação.

Tenho o costume de procurar ver o lado bom das coisas. Então, diante do mês de março, e do deus Marte, não vou fugir da “guerra”, assim, procuro buscar algo positivo e criativo neste arquétipo. Lembro que um arquétipo em si, não é bom, nem ruim, e pode ser os dois, depende de como interagimos com ele. Decidi  trazer um olhar mais profundo e bondoso, então encontrei o que eu buscava: o guerreiro interior.

Não se engane: a inércia pode vir disfarçada de paz, e a raiva tem em si um potencial de energia e transformação, basta que saibamos canalizá-la para o bem. Aliás, como podemos exterminar os nossos medos interiores, se não com um guerreiro forte e poderoso? Marte corresponde este guerreiro interior, um importante arquétipo de transformação.

Infelizmente, estamos acostumados a ver o aspecto negativo (a sombra) do guerreiro: agressão, violência, luta, briga, guerra. Fora do controle, Marte é um arquétipo destrutivo e perigoso. Contudo, o guerreiro tem um aspecto muito positivo, protetor e motivador. Vendo pela perspectiva positiva, Marte pode se tornar um guerreiro de luz, guerreiro pacífico, guerreiro do coração, da força de vontade e do entusiasmo, um guerreiro do BEM.

O caminho do guerreiro é um dos quatro arquétipos apresentados pela antropóloga Angela Arrien. Ela explica que o princípio que guia o guerreiro é mostrar-se e escolher estar presente. O verdadeiro guerreiro honra e respeita tudo e todos. É capaz de se comunicar com clareza. Sabe estabelecer limites. É responsável e disciplinado. Dessa maneira, faz uso correto do seu poder pessoal.

Responsabilidade significa a capacidade de responder, o guerreiro interior é responsável pelo que faz, mas também por aquilo que deixa de fazer. Disciplina significa ser discípulo de si mesmo. É honrar o próprio ritmo.

O guerreiro interior demonstra o poder da presença, da comunicação e do posicionamento. Assim, mostra a sua autenticidade estampada em pensamentos, sentimentos e ações concretas.

Muito curioso é que a mitologia conta que o deus Marte encantou-se por Vênus, a deusa do Amor, com quem teve quatro filhos: os gêmeos Deimos (deus do Terror) e Fobos (deus do medo) e felizmente Cupido (deus do amor) e Harmonia (deusa da Concórdia) também.

Isto reafirma que o arquétipo do guerreiro pode ser vivenciado de forma construtiva ou destrutiva. O guerreiro pode estar aliado ao medo ou ao amor. De fato, confio que o amor e a concórdia podem superar o terror e o medo!

Desejo que a energia de poder e coragem de Marte possa se aliar com a ternura amorosa de Vênus para criar harmonia e equilíbrio entre o sonhar e agir. Que possamos despertar o nosso guerreiro interior para o nosso bem e o bem de todos a nossa volta. Que possamos estar conscientes do nosso poder pessoal e da nossa responsabilidade em ser quem somos e fazer o que fazemos.

Deixo aqui três sugestõespara despertar positiva e criativamente o seu guerreiro interior:

1.   Dance: descubra o poder do movimento
Nas culturas tribais, os guerreiros são dançarinos, pois antes das batalhas, os homens dançavam. A música e o movimento podem encorajar para a ação. Escolha uma música que você gosta e permita-se fluir, unindo corpo e alma no movimento ondulante de cada gesto.

2.   Entre em contato com a natureza: equilíbrio e conexão
Reserve uma hora diária para estar em contato com a natureza, ou ao ar livre. A conexão com a natureza amplia a saúde e o bem estar integral. Organize o seu tempo e se dê este presente de vida.

3.   Escrita Terapêutica: viva o autoconhecimento
O convite é que você escreva quais foram os seus maiores desafios na vida e como você lidou com eles. Quando encaramos e superamos os nossos desafios descobrimos o poder vibrante de nosso guerreiro interior. Os desafios podem ser oportunidades de autoconhecimento, transformação pessoal, superação e resiliência.

Para finalizar, ressalto que o guerreiro Marte também era considerado o deus da agricultura. Assim, lembro-me da importância de escolher bem aquilo que vamos plantar, pois isto determinará a nossa colheita. Espero que você plante lindos sonhos e colha realizações positivas em abundância, não apenas em março, mas em todos os meses do ano!!!

Com carinho,
Gabriele Ribas
cadernodagabi@gmail.com

Cinco dicas para viver com mais alegria

É hoje o dia, da alegria…
E a tristeza, nem pode pensar em chegar…

Semana de carnaval… Dias de folia, músicas animadas, festas, cores, brilhos e muita diversão…  Neste ritmo, o texto de hoje vem trazer cinco dicas para que a gente possa viver com mais alegria, não apenas na semana do carnaval, mas em todos os dias do ano!

Que a alegria seja verdadeira, genuína, não apenas a alegria extrovertida que dá gargalhadas libertadoras, mas também a alegria introvertida, o riso interior e inabalável, que independe dos acontecimentos exteriores.

Que a alegria de bem viver transborde em bons sentimentos, pensamentos e ações!

Dica 1: Viva a sua criança
Independente da idade, todos temos uma criança interior. A nossa essência de alegria, bondade, inocência e magia, vêm da criança que fomos um dia. Lembre-se do que a sua criança gostava de brincar. Bonecas? Carrinho? Casinha? Pega-pega? Esconde-esconde? Desenhar? Joguinhos? Resgate a sua criança interior, traga a memória mais bela da sua infância. Brinque com uma criança, observe como elas são livres e espontâneas. Resgate a leveza, deixe a pré-ocupação de lado e viva o presente da presença autêntica no aqui-agora.

Dica 2: Faça arte
Dance, cante, pinte, desenhe, borde, cole, recorte, escreva, modele, enfim… Viva a sua criatividade! Crie, recrie, invente e expresse o seu potencial criativo. Com materiais artísticos diversos, explore novas possibilidades expressivas.  Aprenda a tocar um instrumento musical ou aprecie uma obra de arte. Assista a uma peça de teatro ou aprenda a dramatizar. Escolha o que te agrada, sem se preocupar com os resultados: viva o prazer do processo. Você não é novo demais nem velho demais para aprender qualquer coisa que te motive. A hora é agora, o dia é hoje! Mãos a obra, fazer da vida a sua maior obra de arte!

Dica 3: Mexa-se, remexa-se
Já sabemos de muitas pesquisas que indicam que a atividade física aumenta a serotonina, que é responsável pela sensação prazerosa de bem estar. Movimento exterior gera movimento interior… Deixe a preguiça de lado e escolha a sua atividade: caminhada, yoga, dança, pilates, corrida, esportes radicais, natação, futebol… Escolha o que pode te trazer bem estar físico, espiritual e emocional. Levante o astral, pule, remexa-se, sacode a poeira para movimentar a sua vida na direção da saúde, do bem estar e da felicidade!!!

Dica 4: Sorria, alegria, sorria!
Sorrir faz bem para o corpo e para a alma. O sorriso é a curva mais bela que temos no corpo e a expressão especialmente genuína da alegria da alma.
Sorria antes – ao esbarrar com alguém, na rua, no elevador, no trabalho ou em casa, abra um grande e amável sorriso. Não espere que o outro tome a iniciativa, nem se preocupe se o sorriso será devolvido, o seu já está garantido! Sorria com a boca, com os olhos, com o corpo inteiro. Compartilhe o seu sorriso com todos a sua volta… Inclusive com o espelho: Sorria para si mesmo, sorria para a vida… E a vida sorrirá para você!

Dica 5: Compartilhe alegria
Não propague más notícias, não incentive a reclamação, não alimente a fofoca nem sintonize com a sofrida vitimização. Escolha a alegria, o sorriso bondoso, o abraço afetuoso, a boa notícia, a gratidão, o elogio sincero e a motivação entusiasmada! Compartilhe coisas boas, que acrescentam, elevam e inspiram o ser humano a ser melhor. Sintonize a alegria e vibre na sintonia do amor.

E quando a tristeza, o mau humor e a reclamação bater a porta? Reconheça, acolha e transforme em algo mais belo, útil e verdadeiro. Mesmo triste, sorria. Mesmo mal humorado, veja o lado positivo, mesmo reclamando, agradeça… Até que a nuvem negra jorrará lágrimas do céu… Que fecundarão a semente da alegria, para florescer a felicidade no jardim da vida!

Por Gabriele Ribas, psicoterapeuta e coach

Páginas:«12345»