Navegando "Escrita Autêntica"

O antídoto da irritação

Todo mundo já deve ter tido um dia mal-humorado, em que se sentiu irritado e tudo parecia dar errado. Dia assim, meio nublado, em que tudo incomoda e parece difícil sair dessa sintonia.

O carro quebra, você está atrasado, derrubam café na sua camiseta, cortam a sua frente no trânsito, você estraga a unha que acabou de pintar, acorda com o barulho da furadeira do vizinho que está em reforma…
Ou então… Simplesmente você se irrita com alguém: com o namorado, por algo que ele fez… Ou com o marido, por algo que ele deixou de fazer. Talvez você esteja se aborrecendo consigo mesmo, e nesses dias o mundo parece uma bola cinza.

Mas então… Haveria um antídoto para a irritação? Uma fórmula para curar as reclamações? Um remédio para curar o mau humor?

Sim! (Ufa…)

Conta um sábio  antigo que o grande antídoto da irritação e de outros males é a GRATIDÃO. A gratidão tem o poder de transformar a tristeza em alegria. Transmutar o pensamento negativo em positivo. Troca o mau humor pelo melhor estado de espírito possível.

O segredo é se focar nas coisas boas da sua vida. Perceber, observar, reconhecer e agradecer todas as dádivas que a vida te oferece, mesmo que sejam oportunidades disfarçadas de desafios.

O mundo está cheio de graças e bênçãos. Muitas vezes estamos tão ocupados com pequenos problemas que nos esquecemos de trazer um olhar mais amplo na situação. Já está tudo ali. Basta ver.

Afinal, o carro bateu, mas você está bem. Você pode trocar a camiseta suja. Pode retocar o esmalte. E o barulho é um despertador… É hora de acordar! Despertar e ver que a reforma é passageira e o prédio vai ficar lindo. Despertar para fazer uma reforma íntima. A sua mudança começa dentro de você! Quando você muda, o mundo se transforma!

Da próxima vez que bater o desânimo ou a irritação, lembre-se de olhar a sua volta e encontrar motivos para agradecer, e não para reclamar. Reforce o lado positivo assim o negativo logo vai desaparecer. Resolva o que precisar, criativamente. Permita-se transbordar-se de gratidão. E sorria sempre, pois assim a vida fica muito mais bela, não é mesmo?
Gabriele de Oliveira Ribas

Mestra em Saúde; Psicoterapeuta e Coach;

Especialista em Arteterapia e Psicologia Transpessoal.

Contato: cadernodagabi@gmail.com

A letra das pessoas

Recentemente iniciou no Instagram um movimento incentivando que as pessoas compartilhassem as suas letras.

Pelo que eu li, começou com alguém divulgando uma lista de compras feita à mão (confesso: as minhas listas de compra são TODAS feitas à mão, não consigo me adaptar ao bloco de notas do celular!!) e uma reação em cadeia espalhou a escrita cursiva pelo Instagram e Facebook.

Uma coisa que a gente não conhece mais: a letra das pessoas! Qual é a sua?

Esta frase está pipocando pela internet, está sendo muito interessante conhecer a verdadeira “letra das pessoas”… Nossa letra é a nossa assinatura pessoal. Condiz com a nossa personalidade, nosso jeito de ser, de pensar, de agir.

Isto me lembra da Grafologia, que é o estudo da personalidade através da análise da caligrafia da pessoa. Da mesma forma que cada indivíduo tem uma impressão digital única, a grafologia entende que cada caligrafia é singular!

Entretanto, hoje em dia muitas pessoas estão tão habituadas com o mundo dos tablets e smartphones, que escrever à mão parece algo do passado. #sqn

Dessa forma, eu fiquei suuuper entusiasmada com este movimento da #minhaletracursiva e #aletradaspessoas.

Eu sempre adorei escrever à mão… Não me traumatizei com as aulas de caligrafia e adoro a minha letra!! Eu escrevo bastante pelo computador, mas não deixo de escrever à mão! Aliás, eu escrevo diariamente, no meu caderno e querido diário!!

Ao longo dos anos, fui desenvolvendo muitas práticas de autoconhecimento através da escrita. Muitas dessas ferramentas eu compartilho no ESCREVA-SE: Oficina On-line de Escrita Autêntica, que é um curso prático para nos tornarmos autores da nossa própria vida!

Nesta oficina, oriento que os participantes escrevam diariamente à mão… A cada semana eu compartilho novas técnicas de escrita espontânea, criativa e terapêutica, e os resultados tem sido surpreendentes!

Assim.. Pegando a onda do incentivo da escrita à mão, vou deixar aqui uma sugestão para você… Não apenas ESCREVER à MÃO… Mas escrever as SUAS IDEIAS!

Há frases que nos identificamos tantos que parece que poderíamos tê-las escrito! Há textos que retratam nossos pensamentos. Mas… E a SUA frase, e o SEU texto?

O meu convite é que você mesmo escreva uma frase, um pensamento ou texto… Melhor ainda se for à mão… E compartilhe a sua #escritaautentica nas suas redes sociais!

E aí, vamos incentivar a criatividade e  a autenticidade?

Compartilhe comigo também, vou adorar ver a sua escrita autêntica!

Com carinho, Gabi!

Gabriele Ribas
Psicoterapeuta e coach

Escreva-se

ESCREVA-SE
Oficina  On-line de Escrita Autêntica

OBJETIVO: Promover recursos para desenvolver a Escrita Autêntica através da prática de exercícios de escrita espontânea, expressiva, criativa e terapêutica.

DURAÇÃO: Quatro semanas.

PARA QUEM? Pessoas interessadas na escrita como recurso de autoconhecimento e transformação pessoal; Pessoas que desejam desbloquear resistências com relação à escrita; Para quem deseja ampliar a expressão criativa através da escrita. Para quem deseja escrever com mais autenticidade.

PRÉ-REQUISITOS:
·         Interesse em conhecer e praticar a Escrita Autêntica.
·         Disponibilidade de 30 minutos diários para as práticas de Escrita Autêntica, durante as quatro semanas da oficina.

RECURSOS NECESSÁRIOS: Caderno, lápis e acesso à internet.

METODOLOGIA DA OFICINA:
·         Será enviado um e-mail por semana (na segunda), com recursos teórico-práticos para exercitar a Escrita Autêntica.
·                  Grupo fechado no facebook para compartilhar ideias e tirar dúvidas.

Vagas Limitadas

INSCRIÇÕES:
Quem tiver interesse e disponibilidade para participar, por gentileza envie um e-mail, para cadernodagabi@gmail.com, dizendo QUAL A SUA MOTIVAÇÃO PARA PARTICIPAR DA OFICINA DE ESCRITA AUTÊNTICA?

A Escrita Terapêutica na minha vida

Escrever sobre a escrita terapêutica é algo muito espontâneo e natural para mim, afinal, vivencio esta prática desde criança. Sempre apreciei poder me expressar através da arte, especialmente a arte da escrita.

Na infância, desenhava diariamente e escrevia em uma língua própria, que só eu entendia… rsss
Na adolescência, ter um diário me ajudou a passar por esta fase de tantas mudanças, dúvidas e a busca pela identidade.

Os desafios da vida adulta ficaram mais leves com a prática da escrita criativa, espontânea e terapêutica.

Diário, agenda, caderno de sonhos, rabiscos, ideias…

Assim, o papel foi tornando-se para mim, um GRANDE TERAPEUTA. Sempre aberto, receptivo, acolhedor…

E transformador! Como um espelho, podemos nos ver naquilo que escrevemos e isto pode ser profundamente terapêutico.

Dores se transformaram em poesias, desafios se transformaram em contos, angústias se transformaram em palavras e as palavras transformaram o sofrimento em autoconhecimento, aprendizado e superação.

As alegrias viraram histórias, os sonhos viraram romances, as inspirações viraram pensamentos, que transformaram sentimentos, ressignificaram memórias e redescobriram potencialidades.

E assim… Ontem, hoje e amanhã, a escrita sempre me acompanha, me alimenta, me transforma e me cura!

Na escrita terapêutica escrevemos para nós mesmos, sem preocupação com certo ou errado, bonito ou feio, bom ou ruim. A ESCRITA ESPONTÂNEA É LIBERTADORA!

A liberdade para nos expressarmos abre o portão da criatividade e da inspiração. A escrita autêntica nasce da nossa alma, é a expressão da essência criativa do ser.

Escrever pode ser terapêutico,  transforma-dor…
Transforma a dor… em cura.

Eu acredito que precisamos SER o exemplo daquilo que acreditamos. Assim, sendo a escrita terapêutica para mim, confio que posso ajudar que ela seja terapêutica para você também, se você quiser, é claro!
Há vários exercícios, técnicas, dinâmicas e ferramentas de auto-descobrimento e criatividade que podem desbloquear o nosso potencial criativo e libertar o escritor-terapeuta que existe em nós.

Todos nós temos algo a dizer, uma mensagem que ansiamos tirar da cabeça em direção ao papel… e do papel ao mundo! Quando lemos a nossa criação, podemos nos reconhecer, reencontrar, recriar… E ir além!

Agora, algumas perguntas para você:
1. Como é a sua relação com a escrita?
2. Você já praticou a escrita terapêutica? Tem vontade de experimentar esta prática?
3. Você acredita que a escrita possa ser terapêutica? Obs* entendendo terapêutico não como sendo psicoterapia, mas sim aquilo que nos promove bem estar, saúde e amplia a nossa consciência.

Que possamos ser os autores da nossa vida, escolhendo como queremos escrever a nossa história. Muitas vezes não podemos mudar os fatos, mas podemos mudar a forma de encará-los, e mais importante: podemos nos transformar positivamente diante das mais diversas experiências, sejam boas ou ruins – isso depende de como as vemos. Assim, sempre podemos escolher como vamos sentir, pensar e agir.

Se você deseja receber conteúdos exclusivos sobre escrita terapêutica, entre outros temas de autoconhecimento, solicite através do e-mail: cadernodagabi@gmail.com ou cadastre-se na nossa newsletter.

Com carinho,
Gabi

Páginas:«1234