Como você está?

Olá,

Como você está?

“ Tudo bem…

Tudo bem…

Tudo bem…

Eu sempre vou dizer: tudo bem!

Mesmo que eu esteja devastada por dentro.

Vou sorrir, e provavelmente você nem perceba meu desmatamento interno.

Não é culpa sua. Não é culpa minha.

Eu simplesmente não saberia como falar a verdade. Eu nem saberia dizer qual é a verdade.

Mas a verdade, era que eu não estava nada bem.

Você não poderia imaginar que por dentro eu estava tão oca de felicidade.

É que meu verniz às vezes é reluzente, e disfarça as minhas dores.

Eu não estava bem, mas quando alguém perguntava, eu sorria por fora e respondia:

– Está tudo bem.

Sou introvertida e tímida, uma combinação que pode ser suavemente explosiva.

O introvertido tem a sua energia voltada para dentro. O tímido se sente inseguro para expor o que sente.

E eu, bem, eu simplesmente não sabia como falar sobre o meu infinito.

Meu universo interior é tão vasto…

Na dúvida, escolhia o silêncio.

Mas por dentro tinha um jardim de palavras. Misturas de flores silvestres, lagos encantados e sim, também cresciam ervas daninhas por aqui.

Palavras entaladas já me causaram dores de garganta. Quase fiz um colar de silêncios gritantes.

Mas, com o tempo, fui aprendendo a colocar a dor para fora. Parei de me envenenar de tristezas e amarguras.

Escrevi as minhas feridas, as minhas dores, e escolhi transformá-las em expressões criativas e vivas.

Isso me trouxe um alívio restaurador.

Tirei as preocupações da cabeça e coloquei-as no papel.

Tirei as angústias da alma e transformei-as em rabiscos.

Tirei o aperto no peito e teci poesia.

Tirei o medo algoz e pintei rimas.

Tirei a ansiedade e escrevi por horas.

Tirei a confusão e criei histórias.

Escrevi as dores e as alegrias.

Escrevi de noite e de dia.

Eu encontrei a minha voz.

Eu encontrei a minha sabedoria.

Tirei os sonhos da gaveta e fui viver.

Não retornei para o calabouço do esquecimento.

Continuei escrevendo, (re)escrevendo e vivendo.

Escrevivendo…

Aprendi a escrever a vida que eu queria ler. ”

(trecho de Curadora ferida, curadora desperta)

 

No meu trabalho com o autoconhecimento través da escrita, me inspirei no meu próprio desenvolvimento, pessoal e profissional.

Me graduei em psicologia, me especializei em psicologia transpessoal e em arteterapia. Fiz mestrado em saúde.

Mergulhei em estudos e vivências orientais e ocidentais, artísticas e científicas, espirituais e corporais.

Estudei budismo tibetano na índia. Fiz curso de reiki, thetahealing, bodytalk, aromaterapia. Estudei e pratiquei sobre ayurveda, yoga, meditação, respiração, biodança, mandalas.

Fiz dança circular, estudei psicossíntese. Li muito. Viajei muito. Estudei. Escrevi. Meditei.

Mas a verdade é que o meu maior curso é a vida, a minha própria vida: minha maior inspiração.

E foi das vivências mais grandiosas e tenebrosas que eu fiz o cimento do meu templo.

E sigo me transformando, em ciclos de morte e renascimento… com leveza e profundidade.

Você pode conferir meus escritos e inspirações para o autoconhecimento, nas minhas casas da internet: no blog, instagram e facebook do Caderno da Gabi.

Você pode se conhecer através da escrita, por meio do e-book Caderno do Eu.

E você também pode ter o meu apoio e inspiração na sua jornada… através dos escritos, cursos, livros e atendimentos…

Ah, e se desejar, me responda… como você está?

Não vale dizer simplesmente “tudo bem”… conte algo mais!!!

Com carinho,

Gabi Ribas – cadernodagabi@gmail.com

4 comentários

  • Bom dia Gabriele!
    Sou Claudia, psicóloga clínica e estou na plataforma psicologia sem fronteiras e foi lá que conheci suas oficinas. irei adquirir seu caderno do EU para aprender mais e revisitar minha escrita!
    Adorei conhecer um pouco de seu trabalho. sempre gostei de escrever…desde criança. fazia poemas na adolescência e deixei de fazê-lo na fase adulta…`Tenho uma escrita fluída e de jardineiro, como você nomeou. Fiz suas oficinas e adorei a maneira como você coloca a escrita e a leveza que constrói seus ensinamentos. você me emocionou em cada vídeo! agradeço por ter esta poesia e criatividade para passar o conhecimento pela escrita…pretendo voltar a escrever e me redescobrir com outras possibilidades na escrita.
    abraços
    Claudia

    • Querida Claudia, que alegria receber a sua mensagem, fico muito feliz em saber que você gostou!!!Seja sempre muito bem vinda no Caderno da Gabi. Quando quiser, conheça o Caderno do Eu e o Escreva-se: oficina on-line de escrita autêntica, para aprofundar a sua conexão com a escrita! Com carinho, Gabi

  • ola!!!
    achei muito interessante essa tecnica de escrever os sentimentos.
    tentarei escrever, pois tenho dificuldade para descrever alguns sentimentos.
    mas acho que vai ser muito legal.
    sua escrita é muito linda.
    beijos
    mirian acacia

    • Oi Mirian querida!!! Que bom que você gostou, fico feliz!!!
      Obrigada!!! Escreva sim, liberte as palavras que estão dentro de você!
      E seja sempre muito bem vinda no Caderno da Gabi <3

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário