Coaching de Escrita
“Hoje tive a minha primeira experiência de coaching com o Escreva-se, não poderia ter sido melhor, pois a querida Gabriele Ribas, Gabi em especial, é uma profissional experiente e amorosa. Sai desse encontro motivada a desenvolver minha capacidade na arte de escrever, área essa  que Gabi desempenha muito bem como especialista que é. Tania, psicóloga.”
Coaching de Escrita
“Sem palavras para agradecer minha primeira sessão de coaching com a Gabriele Ribas. Encantada, maravilhada e agora super focada. Gabi, você deu "norte" para meu sonho. Despertou minha criança interior e agora seu exatamente aonde quero chegar. Gratidão por me conduzir. Vivianne, psicóloga, RJ.”
ESCREVA-SE: Oficina On-line de Escrita Autêntica
“Gostei de todas as práticas, nunca imaginei que pudesse ter  esse tipo de exercício, essa forma de terapia é muito interessante. Essa oficina foi super terapêutica para mim! Obrigada Gabriele por me ofertar essas vivências. Helena, SP.”
ESCREVA-SE
“Senti uma mudança prática, na organização do dia a dia, principalmente na administração do tempo. Foi uma viagem criativa, a medida que as semanas foram passando me senti mais segura dos meus talentos e percebi que tenho sim tempo e espaço na rotina pra estar comigo mesma e compartilhar pensamentos através da escrita. Aline, terapeuta, SC.”
ESCREVA-SE
“Escrita autêntica é criar e recriar, é se descobrir em cada palavra. (...) A escrita autêntica me ajudou a perceber e vivenciar meus sentimentos e organizar meus pensamentos. Hoje entendo que participar da Oficina de Escrita Autêntica, foi um chamado de despertar. Despertar de uma escrita leve, sensível, intuitiva, suave e transformadora. Escrever é se permitir! (...) Gratidão por ter permitido viver e cultivar momentos mágicos! Que você continue despertando Almas, porque a escrita autêntica permite!”
Karina, psicóloga, SP
A oficina ESCREVA-SE, foi uma experiência única na minha vida, através da escrita autêntica e de cada atividade proposta nessa oficina, pude me conhecer mais, reeditar alguns sentimentos, relaxar em momentos de tensão, sentir alívio em momentos de angústias, me acalmar em momentos de ansiedade, e me sentir capaz no que se refere a escrever e construir algo. Foi uma oportunidade singular em estar mais comigo mesma. (...)Uma prática para a vida toda! É uma oficina maravilhosa de autoconhecimento e libertação, auxilia a organizar as questões internas e externas, nos exige um curto tempo diário e a diferença que ela proporciona é atemporal.”
Emanuela, psicóloga, SP.
“Consegui me olhar mais durante os exercícios e valorizar minhas riquezas internas (...) Colocar as mãos no papel com liberdade e sem crítica às vezes me dá a sensação de ter asas nas mãos, meus pensamentos começam a brotar por meio da sementinha lápis e quando vejo se tornou uma linda árvore. A escrita me permite ter um momento a sós comigo mesma, momento este em que posso curtir minha presença mantendo um diálogo profundo por meio das letras.... isso é lindo!”
Conceição, psicóloga, PI.
“A oficina ESCREVA-SE me abriu novos horizontes, promovendo meu encontro com minha criança interior e facilitando a prática da escrita autêntica e criativa. Foi uma grande aliada à minha psicoterapia e à busca do meu verdadeiro Eu.”
Andréia, psicóloga, SP.
“O Oficina de Escrita Autêntica tem sido um processo libertador para mim, um dispositivo para avanços internos e profissionais! Com seu jeito meigo e acolhedor, a Gabi vai nos desafiando, nos colocando frente à questões cruciais, que podem estar nos impedindo de ampliar o uso da escrita na vida profissional  ou “escrever de forma singular” a nossa própria história!”
Cristina, psicóloga, MG.
“Do ponto de vista pessoal, com a Oficina Escreva-se eu pude desbloquear minha criatividade, a fluidez na escrita e descobrir o santuário de recursos que tenho dentro de mim. Me ajudou a avaliar questões pessoais, metas, reflexões sobre relacionamentos, uso do tempo, prioridades, etc. Além disto consolidou pra mim o conceito de que a escrita é um poderoso recurso de autoconhecimento e de autotransformação.Do ponto de vista profissional descobri novas formas de usar a escrita como recurso terapêutico na psicologia clínica.”
Lella, professora, BA.
“Na tentativa de aprimorar o que sempre me traz dúvida: eu sei escrever? Mas afinal, eu escrevo o que? É importante para mim? É importante para os outros? É importante ser importante? É benéfico? Atinge as pessoas positivamente? Devo continuar escrevendo? Há beleza na minha escrita? Nestes e em muitos outros questionamentos foi-me essencialmente útil todas as propostas de escrita aqui encontradas. E os seus feedbacks foram valiosíssimos, enviados a minha obra. Fiquei muito satisfeita e feliz com sua visão sobre minha escrita. (...) Senti-me em meu lugar. Gostei muito da possibilidade de saber que posso escrever nada com nada e tudo com tudo. E entre este nada e o quase tudo há algo de belo e autentico. Muito Bom.”
Daniel, computação, RS.
“A escrita sempre foi algo difícil para mim, achava que não era capaz de me expressar através dela.  A oficina me proporcionou encontrar uma nova paixão, a escrita. Ajudou a perder o medo de escrever e de me expressar pela escrita livre. Acho que ganhei uma nova aliada, a escrita me permitiu escrever e pensar sobre os meus sentimentos, quase que uma auto-análise e também para levar alguns temas para a minha psicóloga.”
Adriana, psicóloga, USA.
“Comecei a oficina esperando conseguir apreciar minha escrita e ao final dela meu sentimento é de gratidão, gratidão, gratidão. A estrutura e consistência do material me fizeram desenvolver muito em um período tao curto (8 semanas). O carinho pela Oficina é tao especial que irei refazer-la por minha conta, comprei um caderno especial e estou empolgada escrevendo e publicando. Comento tanto sobre a Oficina que tenho contagiado outros amigos a se interessarem e se questionarem sobre sua própria relacao com a Escrita pessoal. Agora me sinto desperta, acordada e com sede de aprender e desenvolver minha escrita. Obrigada, obrigada, obrigada.”
Claudia, psicoterapeuta holística, PR
Como Dorothy, que seguiu pela estrada de tijolos amarelos para encontrar a  Cidade de Esmeralda e o Mágico de OZ, através do ESCREVA-SE  - Oficina on-line de Escrita Autêntica, reencontrei a Magia da minha criança, sua espontaneidade e a liberdade de ser eu mesma. Gabriele Ribas, agradeço pela sua dedicação, disponibilidade e carinho em partilhar conosco suas experiências na escrita e pelas práticas tão especiais que vivenciamos. Que muitas outras pessoas tenham a possibilidade de conhecer o seu trabalho  e enriquecerem suas Almas com infinitas e criativas possibilidades de SER AUTÊNTICO. 
Tania, psicóloga, SC.
Escrever mexeu com meus sentimentos (...) aflorou a minha intuição. (...) Nunca escrevi tanto, desde que escrevia cartas na minha adolescência.
Aline, psicóloga, SC.
Apesar de conhecer muitas das teorias psicológicas, essa me foi reveladora e surpreendente. Algo simples, como lápis e papel podem transformar e realizar coisas incríveis na vida de quem quer que seja. (...) Foi uma experiência única, pessoal e reveladora. 
Patrícia, arteterapeuta, SC.
Foi uma maravilhosa ferramenta de reflexão. (...) Tudo foi positivo. Se houve reflexão, houve transformação. (...) Foi uma experiência muito feliz! Às vezes temos o poder de transformar nossas vidas e não sabemos como. A oficina Escreva-se é um exemplo disso. Basta sabermos como fazê-lo e tudo pode acontecer. 
Meg, Coach, RJ.
Amo escrever, mas tenho dificuldade de me exercitar, por isso estar em contato com as atividades propostas foi motivador. (...) Gostei de tudo e em especial de poder ter uma rotina de escrita. Acredito que um dia todo mundo deveria fazer. Por a alma ao pé da página, rascunhar, rabiscar, apagar, reescrever, experimentar, sonhar, ver e rever, transformar até que a alma fique lavada e a página cheinha dos meus sentimentos, eita exercício bom, as vezes dói, mas depois a dor dá lugar a um sentimento de liberdade e de leveza por ter entregue ao papel o que sentia. 
Juliana, psicóloga,PR
“A oficina me ajudou a confiar mais na minha escrita, a me conhecer mais e a dar “ouvido” a minha criança interna, a minha autenticidade e espontaneidade. Resgatei a minha escrita leve, suave, alegre de quando pequena e voltei a saborear meus escritos pessoais e profissionais com essa leveza e sentimento.”
Conceição, psicóloga, PI.
Para mim, escrever poesias tem sido maravilhoso! O sentimento é sempre de muita ansiedade (risos) pela próxima etapa. 
Gostei de tudo! Absolutamente tudo! Alguns escritos brotaram de mim sem o menor esforço, mas pude observar também que outros foram frutos de uma construção! Construção mesmo, com pesquisa de palavras e tudo! O que reforça ainda mais minha teoria de que qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa. Basta querer e se esforçar.
Aline,terapeuta ayurveda, SC
As propostas de experiências foram ótimas! 
Percebi que dei um salto de observação e construção mental, fiz muita poesia na cabeça, na hora, andando na rua... conversando comigo mesma. Penso que a linguagem poética se abriu, de certa forma. Um bloqueio, um véu se desfez e me aproximou do processo criativo interno.
Ana Paula Ramos – life coach e coach de reorientação vocacional, escritora, jornalista e uma verdadeira apaixonada por processos de transformação pessoal.
““A beleza está nos olhos de quem vê. Rosas e espinhos fazem parte da vida. A diferença está no sentido que damos às coisas, tornando-as tristes ou coloridas”. E foi assim, com o sentimento pleno de gratidão, que recebi esse verdadeiro presente do Universo: um livro colorido em forma de poesia. A Rosa da Gratidão é mais do que uma leitura agradável, leve e inspiradora. É aprendizado, sutileza e riqueza em cada detalhe, tanto nas palavras, que parecem dançar feito música, quanto nas ilustrações, verdadeiras obras de arte que encantam os olhos e acalentam o coração. Tive a oportunidade de acompanhar o processo de construção desse livro e, o que posso dizer, depois de vê-lo ganhar vida, a não ser GRATIDÃO? Gratidão, Gabi, por ter abraçado tão lindamente a sua verdade, de forma a traduzi-la de forma suave e poética em cada página dessa obra. Gratidão, sobretudo, por nos inspirar à prática de algo tão importante, empoderador e manifestador de abundância e coisas boas: agradecer diariamente por tudo o que se tem, por tudo o que se é, por tudo o que ainda está por vir, já que nada acontece na nossa vida sem que haja uma razão maior. Recomendo a leitura e, principalmente, a prática das atividades propostas ao final do livro. Muitas delas, inclusive, além de hábitos meus, são práticas que conduzem parte das atividades dos meus próprios processos de coaching. Tá aí uma boa maneira de começar a praticar: A Rosa da Gratidão. Receba a minha rosa, Gabi! Sou grata. ”
Ana Paula Ramos
“Desde criança aprendi com a escrita uma das maiores lições da vida: escrever é terapia! No Caderno do Eu, a Gabi reforça ainda mais a minha certeza de que, ao colocarmos no papel o que se passa em nossos corações e nossas mentes, embarcamos em uma viagem de autoconhecimento, autoanálise, inspiração e redescoberta do mundo e de nós mesmos. Nesse e-book precioso, a Gabi nos brinda com trinta  exercícios importantíssimos, criativos e lúdicos de escrita terapêutica, trinta novas formas de olhar e de escrever e reescrever a nossa própria história. Como escritora, jornalista, life coach e apaixonada por todo e qualquer atividade de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, indico demais o trabalho dessa grande profissional. Um trabalho que tive o prazer de ver nascer e florescer com todo carinho do mundo e que vai ajudar muitas e muitas pessoas nos seus processos de autoconhecimento.”