Estou sem linhas

 

…E essa poesia nasceu na primeira página de um caderno novo, sem linhas!

Representa uma nova fase. Cadernos novos tem o frescor das infinitas possibilidades. Cadernos escritos tem a beleza das histórias.  E o caderno sem linhas, a que te convida?

Estou sem linhas.

O meu caderno antigo chegou ao fim.

Está completo: Completou um ciclo.

Comprei um novo caderno. Mas, desta vez, sem linhas.

Estou sem estrada. Preciso abrir um novo rumo dentro de mim.

Não seguirei por rotas sinalizadas.

Abro uma nova trilha na floresta escura que me habita.

Estou dentro da caverna.

No topo da montanha.

No fundo do oceano.

Rolando na grama molhada.

Nas entranhas da minha alma.

Na profundeza do céu.

No santuário da paz.

No templo do coração.

Na branda alegria.

Na dança livre do sorriso.

No mistério do luar.

No abraço quente do sol.

Na areia fofa.

E no meu lençol.

Estou em transformação, com a vida.

Eu sou a vida que flui, sem linhas.

Eu saí da linha.

Sou uma curva de possibilidades.

Imprevisível. Improvável.

Pura. Real.

Insegura, na zona desconfortável e desconhecida.

Eu sou o Recomeço.

Inicio novamente. Mas cada vez, é diferente.

Eu sou o berço e o túmulo.

O começo e o fim, moram dentro de mim.

Recomeço, de novo e mais uma vez.

Recomeço sem linhas.

Gabriele Ribas

 

 

Ei, que tal escolher um caderno sem linhas, e desbravar uma nova rota de escrita dentro do seu Ser?

GabiRibas

 

Gabriele Ribas é psicoterapeuta e coach, e adora brincar com as palavras!! Acredita que escrever é terapêutico e transformar sentimentos em palavras, pode ser profundamente curativo e transformador! Autora do Caderno do Eu e do Caderno do Nós.

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário