Feche os olhos e Veja

Uma simples caminhada na praia, pode se tornar uma vivência de conexão consigo mesmo e com a Vida?

Feche os olhos e Veja! E escute, se quiser…

Quase todos os dias caminho na praia.

Muitas pessoas caminham na praia como uma atividade para exercitar o corpo, mas para mim, além disso, é uma verdadeira terapia para a minha mente e alimento para a minha alma.

Caminho para conversar comigo, caminho para silenciar. Caminho paralela ao mar. O mar é meu refúgio, meu santuário, minha paz.

Caminho para me perder, caminho para me encontrar.

Caminho olhando para o horizonte, buscando o meu próprio infinito. Caminho com os pés no chão mas a imaginação além do céu.

E agora, escrevo minhas impressões, neste pedaço de papel.

Hoje, teve algo diferente, algo especial.

Enquanto eu caminhava, senti vontade de fechar os olhos, isso mesmo, caminhar de olhos fechados. Parecia uma ideia absurda, louca, mas porque não? Olhei bem para o chão logo à frente, parecia seguro. Não tinha ninguém vindo em minha direção.

Fechei os olhos. Respirei fundo, e passo por passo, fui descobrindo novas sensações. O som do mar parecia um sussurro suave nos meus ouvidos, doce melodia. O sol quente beijava o meu corpo e delicadamente seu toque era de prazer e calor. A brisa suave me abraçava com carinho, e o vento brincava com meus cabelos, me descabelando completamente. E eu nem me preocupei para arrumar. Deixei os cabelos esvoaçantes acenarem para o mar. Meus pés deslizavam pela areia, ora flutuando nas águas, ora fincando raízes profundas na terra. Aroma de pureza no ar, ah, o ar me preenchia de vida, que vibrava em cada célula do meu corpo interior. Podia sentir sabor de alegria e um sorriso gostoso na boca e no coração.

Que momento mágico, conectada com minha alma e em comunhão com o meu corpo e a natureza.

De repente, abri os olhos, e foi como se estivesse conhecendo o mundo pela primeira vez. Como se estivesse renascendo ali mesmo, em movimento.

Olhei tudo à volta, curiosa pelas novas cores e formas: O céu azul, o mar ondulante, as pessoas indo e vindo, aprendizes, assim como eu. Barulhos de construção, prédios altos, árvores. A areia reluzente… Bancos, a rua, os carros e tudo mais. Olhei para fora e vi que era tudo muito bom. Tudo muito lindo. Tudo muito em paz.

Fechei os olhos mais uma vez. Respirei fundo. Senti aquele presente.

Eu me permiti amar e ser amada por aquela caminhada.

Abri os olhos novamente, Fiquei ali, parada, simplesmente, encantada. Ah, acho que estou apaixonada… Pelo amar, pelo mar, pelo ar, pela Vida.

Voltei para casa com a sensação de que o meu lar está sempre dentro de mim.

Gratidão

 

Gabriele Ribas

3 comentários

  • Texto delicioso, Gabi!

  • Ao ler esse texto, parecia que era eu que também caminhava na praia. Me transportei para aquele lugar. Fantástico!

    • Que coisa boa, Rosália!!!! Fico feliz em saber disso!!!

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário