O Mês de Março e o Caminho do Guerreiro

Você sabia que o mês de março recebe este nome em referência a Marte, o deus romano da guerra?  No hemisfério norte, nesta época do ano inicia a primavera, logo, viabilizava que as tropas se mobilizassem a ação, daí a relação do mês de março com Marte, o deus guerreiro.

Marte, também conhecido como o planeta vermelho, bem como o deus Marte, ambos são associados a esta cor quente e intensa. Marte representa o arquétipo (imagem primordial presente no inconsciente coletivo) do guerreiro, ele simboliza o poder, a força que motiva a ação.

Tenho o costume de procurar ver o lado bom das coisas. Então, diante do mês de março, e do deus Marte, não vou fugir da “guerra”, assim, procuro buscar algo positivo e criativo neste arquétipo. Lembro que um arquétipo em si, não é bom, nem ruim, e pode ser os dois, depende de como interagimos com ele. Decidi  trazer um olhar mais profundo e bondoso, então encontrei o que eu buscava: o guerreiro interior.

Não se engane: a inércia pode vir disfarçada de paz, e a raiva tem em si um potencial de energia e transformação, basta que saibamos canalizá-la para o bem. Aliás, como podemos exterminar os nossos medos interiores, se não com um guerreiro forte e poderoso? Marte corresponde este guerreiro interior, um importante arquétipo de transformação.

Infelizmente, estamos acostumados a ver o aspecto negativo (a sombra) do guerreiro: agressão, violência, luta, briga, guerra. Fora do controle, Marte é um arquétipo destrutivo e perigoso. Contudo, o guerreiro tem um aspecto muito positivo, protetor e motivador. Vendo pela perspectiva positiva, Marte pode se tornar um guerreiro de luz, guerreiro pacífico, guerreiro do coração, da força de vontade e do entusiasmo, um guerreiro do BEM.

O caminho do guerreiro é um dos quatro arquétipos apresentados pela antropóloga Angela Arrien. Ela explica que o princípio que guia o guerreiro é mostrar-se e escolher estar presente. O verdadeiro guerreiro honra e respeita tudo e todos. É capaz de se comunicar com clareza. Sabe estabelecer limites. É responsável e disciplinado. Dessa maneira, faz uso correto do seu poder pessoal.

Responsabilidade significa a capacidade de responder, o guerreiro interior é responsável pelo que faz, mas também por aquilo que deixa de fazer. Disciplina significa ser discípulo de si mesmo. É honrar o próprio ritmo.

O guerreiro interior demonstra o poder da presença, da comunicação e do posicionamento. Assim, mostra a sua autenticidade estampada em pensamentos, sentimentos e ações concretas.

Muito curioso é que a mitologia conta que o deus Marte encantou-se por Vênus, a deusa do Amor, com quem teve quatro filhos: os gêmeos Deimos (deus do Terror) e Fobos (deus do medo) e felizmente Cupido (deus do amor) e Harmonia (deusa da Concórdia) também.

Isto reafirma que o arquétipo do guerreiro pode ser vivenciado de forma construtiva ou destrutiva. O guerreiro pode estar aliado ao medo ou ao amor. De fato, confio que o amor e a concórdia podem superar o terror e o medo!

Desejo que a energia de poder e coragem de Marte possa se aliar com a ternura amorosa de Vênus para criar harmonia e equilíbrio entre o sonhar e agir. Que possamos despertar o nosso guerreiro interior para o nosso bem e o bem de todos a nossa volta. Que possamos estar conscientes do nosso poder pessoal e da nossa responsabilidade em ser quem somos e fazer o que fazemos.

Deixo aqui três sugestõespara despertar positiva e criativamente o seu guerreiro interior:

1.   Dance: descubra o poder do movimento
Nas culturas tribais, os guerreiros são dançarinos, pois antes das batalhas, os homens dançavam. A música e o movimento podem encorajar para a ação. Escolha uma música que você gosta e permita-se fluir, unindo corpo e alma no movimento ondulante de cada gesto.

2.   Entre em contato com a natureza: equilíbrio e conexão
Reserve uma hora diária para estar em contato com a natureza, ou ao ar livre. A conexão com a natureza amplia a saúde e o bem estar integral. Organize o seu tempo e se dê este presente de vida.

3.   Escrita Terapêutica: viva o autoconhecimento
O convite é que você escreva quais foram os seus maiores desafios na vida e como você lidou com eles. Quando encaramos e superamos os nossos desafios descobrimos o poder vibrante de nosso guerreiro interior. Os desafios podem ser oportunidades de autoconhecimento, transformação pessoal, superação e resiliência.

Para finalizar, ressalto que o guerreiro Marte também era considerado o deus da agricultura. Assim, lembro-me da importância de escolher bem aquilo que vamos plantar, pois isto determinará a nossa colheita. Espero que você plante lindos sonhos e colha realizações positivas em abundância, não apenas em março, mas em todos os meses do ano!!!

Com carinho,
Gabriele Ribas
cadernodagabi@gmail.com

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário