jan 6, 2015 - Poesia    No Comments

O olho do furacão

Você já teve um problema que não sabia como resolver?

Já ficou triste porque aconteceu algo  desagradável com você? Já se perguntou por que coisas ruins acontecem para pessoas boas?

Já buscou respirar na esperança para curar uma dor? Ou será que isto acontece apenas comigo? Rsss..

Pois bem… Num momento muito desafiador da minha vida, em que eu me sentia angustiada no meio de um verdadeiro “furacão”… Eis que eu respirei fundo e fui buscar dentro de mim, algum lugar de paz… e foi uma feliz descoberta, perceber que estava lá… o Olho do furacão… um local de paz em meio ao caos… Então…  simplesmente escrevi… deixei fluir o que estava sentindo… e nasceu este singelo poema:

Apesar do caos em volta
No centro sentimos leveza
Ao redor tudo parece estranho
Mas de dentro emerge a beleza

O mar está revoltado
Onda, dor e grito
Bem no fundo do mar é calmo
Tem silêncio infinito

As lágrimas viram sorrisos
A dor vira superação
A dúvida cede à esperança
Quando ouvimos o coração

Tudo gira, segue e retorna
Não vai para frente nem atrás
Só para dentro, é profundo
E aprofunda sempre mais

Eis o olho do furacão
O olho que tudo vê
Tudo flui… Tudo muda
Sem saber como e por que

Ar… é preciso respirar
Ventania… arrasta a dor
Inspira, expira…
Quando a brisa traz calor

Solta o passado
Celebra o presente
Confia no futuro

No vazio do olho do furacão
Não tem tempo nem espaço
Passado, presente e futuro
Andam no mesmo compasso

Cria asas para voar
Aterra raízes para viver
Abre os braços para amar
Firma as pernas para vencer

Milagres acontecem
Transforma muro em ponte
Liberar o medo
Permite ver um novo horizonte

Diante do abismo da dor, eu adquiro profundidade.

Setembro de 2014, Gabriele Ribas

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário