Qual a diferença entre conhecimento e sabedoria?

3-2

Muitos já escreveram sobre vários assuntos. Tantos sábios autores nos deixaram legados de conhecimentos, de sabedoria. A abundância de informações permite que possamos pesquisar sobre qualquer assunto. Mas… Qual é o nosso desafio diante do vasto conhecimento disponível?

Na minha época da escola, pesquisava nos livros, nas enciclopédias, como a Barsa, para fazer as atividades escolares. Lembro-me de vários trabalhos escritos a mão, e de como eu gostava não apenas de pesquisar, mas criar a partir do que eu descobria.

Com o advento da internet, o ‘ctrl c’ e o ‘ctrl v’ marcam uma nova era, que muitas vezes carece de criatividade, pois “parece mais fácil” copiar o que já existe. O conhecimento sequer é digerido, internalizado… Ele simplesmente passa por nós. O Google tornou-se o mestre que tudo responde… Sempre podemos recorrer a ele…

Mas antes é preciso fazer a pergunta.

As respostas já existem, mas precisamos saber (bem) perguntá-las. Tudo poderá ser-nos dado, mas antes, precisamos pedir.

A resposta pode vir pela internet, por um livro, amigo, filme, outdoor, palestra, curso… ou… vir de dentro, da alma, do coração, do silêncio que tudo sabe, tudo diz: basta ouvir.

Então eu me questiono: Com essa abundância de informações, como podemos transformar o conhecimento em sabedoria? Conhecer não basta, sinto que precisamos VIVER o que conhecemos. Internalizar a informação, digeri-la, transforma-la criativamente e devolve-la para o mundo como uma contribuição única, autêntica.

Vejo que hoje o grande desafio não é saber, mas sim SABER FAZER. Informações todos podem ter, basta buscar.

Ideias podem brotar naturalmente… Mas a grande diferença será daquele que colocar em prática seus sonhos, ideias e ideais.

É preciso plantar a semente da sabedoria, vivê-la, vivenciá-la intensamente crescendo dentro de si e florescendo para o mundo.

Vamos ser o exemplo do que acreditamos. Vamos inspirar a informação, respirar o conhecimento, expirar a sabedoria. Vamos plantar aquilo que esperamos colher.

O que você está esperando para plantar os seus sonhos, e colher realizações?

O conhecimento é como uma faca, que pode te trazer certo poder. Você pode usar a faca para passar manteiga no pão, ou ferir alguém. O conhecimento pode levar à cura de doenças, ou a bomba atômica. O conhecimento traz poder, mas precisa ser bem utilizado, em prol do bem comum.

Já a sabedoria é virtude. Ser sábio é mais do que ter informações, é internalizar e viver o saber. É transpirar o conhecimento com naturalidade e bondade. É SER sábio, ser o exemplo. Encantar pelo seu jeito de ser e saber fazer. É ensinar com a simplicidade das atitudes e pequenos gestos, que fazem a diferença. O sábio nem sempre faz uso das palavras. Muitas vezes, seu silêncio diz muito. A mensagem sábia pode ser verbal ou não verbal, uma imagem sábia pode dizer muito, sem falar nada.

Eu percebo a extrema importância de fazermos uma ponte entre o cérebro e o coração, entre a razão e a emoção, entre a ciência e a espiritualidade. Muitas pessoas tem o conhecimento, mas não vivem a sabedoria, tantos têm a teoria, mas não vivem a prática, e tem aqueles que pregam uma doutrina, mas não a vivem.

Meu convite é que possamos nos observar, nos questionar se estamos REALMENTE vivendo o que acreditamos. Se nós estamos ensinando através do nosso exemplo, ou dizendo: ‘faça o que eu digo, e não o que eu faço’.

Que possamos VIVER a sabedoria, que possamos SER o que sonhamos para nós, que possamos INSPIRAR através do nosso exemplo.

E então, como você pode viver e expressar a sua sabedoria HOJE?

Conte para mim, vou adorar saber!!!

Gabriele de Oliveira Ribas

Psicoterapeuta e Coach

Mestre em Saúde

Especialista em Psicologia Transpessoal e Arteterapeuta

Quais são as três coisas mais importantes da sua vida?

 

Quais são as três coisas mais importantes da sua vida?

Foi esta a pergunta que o taxista me fez, após eu indicar o endereço desejado.

Fiquei surpresa com seu questionamento, ele parecia curioso para saber o que eu ia responder.

Pensei em mil coisas, na hora eu disse: Minha família, meu trabalho e minha espiritualidade.

Resposta errada, disse ele!

Como assim? Pensei… Como ele pode dizer que está errado? Achei estranho no primeiro momento, mas vamos lá, deve ter algum motivo, então perguntei: Qual seria a resposta certa?

As três coisas mais importantes da sua vida são: ar, água e alimento – retrucou, enfaticamente – Pensa bem, você não pode ficar mais que alguns segundos sem respirar. E sem água e comida, poucos dias seriam fatais.

Ele trouxe toda uma reflexão repleta de amor pela Terra, enfatizando o quanto precisamos cuidar das árvores, da terra, da água, do ar, de toda natureza, do planeta:

As pessoas não se dão conta que precisamos disto para sobreviver. Moramos sob o mesmo céu, andamos pela mesma terra, compartilhamos os mesmos alimentos, e respiramos o mesmo ar. Essa é a nossa sobrevivência. Precisamos cuidar da nossa Casa, da nossa Terra, do nosso Lar: o nosso amado Planeta. 

Fiquei surpresa, pensativa e reflexiva. Afirmei: É verdade, você está certo! Obrigada por me trazer essa reflexão.

Ele me contou que faz essa pergunta a todos os passageiros, que era a sua forma de trazer essa problemática para as pessoas.

Agora eu pergunto:

Além da  sobrevivência, que valores norteiam a sua existência?

O que realmente importa na sua vida?  O que você mais valoriza?

Além do ar, água e alimento, o que você mais precisa para bem viver? 

A viagem de carro passou voando,  e quando ele me deixou em casa, ainda disse:

Você me ajuda a cuidar do planeta? – Perguntou, animado!

Ajudo sim, eu falei. E passarei as perguntas adiante!

É o que estou fazendo!

Gabriele Ribas

Lavanda poética

Um verdadeiro mar de flores!

 

Conhecer as lavandas, no sul da França, foi uma experiência bela, poética e perfumada.
E foi lá mesmo, na acolhedora região de Provance, que nasceu este singelo poema, uma verdadeira aromaterapia poética…

 

Lavanda poética...

Lavanda, lilás-azulada...
Bela flor da purificação...
Limpa, cura e harmoniza...
Transforma a dor em perdão...

Lavanda, lavare, lavar...
Perfumada, livre e leve...
Lava com louvor...
Leal e amável flor...

Encanto aromático...
Relaxa a minha mente...
Abraça os meus sentidos...
Deixa minha alma sorridente...

Libera os excessos e pesos...
Respira a pureza do coração...
Flor da leveza e da suavidade...
Conecta com a imensidão...

Delicada e perfumada...
Lavanda, refrescante...
Regenera, cicatriza...
Faz do eterno, um instante.

DSC05380

 

Equilibra, embeleza, reza...
Flor versátil e medicinal...
Aroma relaxante e suave...
Graciosidade sem igual...

Lavanda: minha aromaterapia...
Um abraço aromático desta nobre flor...
Cura as suas feridas, regenera...
Transborda em beleza e amor!

 

Gabriele Ribas

Escritora.

Especialista em Psicologia Transpessoal e em Arteterapia. Psicoaromaterapeuta - sistema dos 13 aromas

Páginas:«123456»