Qual a diferença entre conhecimento e sabedoria?

3-2

Muitos já escreveram sobre vários assuntos. Tantos sábios autores nos deixaram legados de conhecimentos, de sabedoria. A abundância de informações permite que possamos pesquisar sobre qualquer assunto. Mas… Qual é o nosso desafio diante do vasto conhecimento disponível?

Na minha época da escola, pesquisava nos livros, nas enciclopédias, como a Barsa, para fazer as atividades escolares. Lembro-me de vários trabalhos escritos a mão, e de como eu gostava não apenas de pesquisar, mas criar a partir do que eu descobria.

Com o advento da internet, o ‘ctrl c’ e o ‘ctrl v’ marcam uma nova era, que muitas vezes carece de criatividade, pois “parece mais fácil” copiar o que já existe. O conhecimento sequer é digerido, internalizado… Ele simplesmente passa por nós. O Google tornou-se o mestre que tudo responde… Sempre podemos recorrer a ele…

Mas antes é preciso fazer a pergunta.

As respostas já existem, mas precisamos saber (bem) perguntá-las. Tudo poderá ser-nos dado, mas antes, precisamos pedir.

A resposta pode vir pela internet, por um livro, amigo, filme, outdoor, palestra, curso… ou… vir de dentro, da alma, do coração, do silêncio que tudo sabe, tudo diz: basta ouvir.

Então eu me questiono: Com essa abundância de informações, como podemos transformar o conhecimento em sabedoria? Conhecer não basta, sinto que precisamos VIVER o que conhecemos. Internalizar a informação, digeri-la, transforma-la criativamente e devolve-la para o mundo como uma contribuição única, autêntica.

Vejo que hoje o grande desafio não é saber, mas sim SABER FAZER. Informações todos podem ter, basta buscar.

Ideias podem brotar naturalmente… Mas a grande diferença será daquele que colocar em prática seus sonhos, ideias e ideais.

É preciso plantar a semente da sabedoria, vivê-la, vivenciá-la intensamente crescendo dentro de si e florescendo para o mundo.

Vamos ser o exemplo do que acreditamos. Vamos inspirar a informação, respirar o conhecimento, expirar a sabedoria. Vamos plantar aquilo que esperamos colher.

O que você está esperando para plantar os seus sonhos, e colher realizações?

O conhecimento é como uma faca, que pode te trazer certo poder. Você pode usar a faca para passar manteiga no pão, ou ferir alguém. O conhecimento pode levar à cura de doenças, ou a bomba atômica. O conhecimento traz poder, mas precisa ser bem utilizado, em prol do bem comum.

Já a sabedoria é virtude. Ser sábio é mais do que ter informações, é internalizar e viver o saber. É transpirar o conhecimento com naturalidade e bondade. É SER sábio, ser o exemplo. Encantar pelo seu jeito de ser e saber fazer. É ensinar com a simplicidade das atitudes e pequenos gestos, que fazem a diferença. O sábio nem sempre faz uso das palavras. Muitas vezes, seu silêncio diz muito. A mensagem sábia pode ser verbal ou não verbal, uma imagem sábia pode dizer muito, sem falar nada.

Eu percebo a extrema importância de fazermos uma ponte entre o cérebro e o coração, entre a razão e a emoção, entre a ciência e a espiritualidade. Muitas pessoas tem o conhecimento, mas não vivem a sabedoria, tantos têm a teoria, mas não vivem a prática, e tem aqueles que pregam uma doutrina, mas não a vivem.

Meu convite é que possamos nos observar, nos questionar se estamos REALMENTE vivendo o que acreditamos. Se nós estamos ensinando através do nosso exemplo, ou dizendo: ‘faça o que eu digo, e não o que eu faço’.

Que possamos VIVER a sabedoria, que possamos SER o que sonhamos para nós, que possamos INSPIRAR através do nosso exemplo.

E então, como você pode viver e expressar a sua sabedoria HOJE?

Conte para mim, vou adorar saber!!!

Gabriele de Oliveira Ribas

Psicoterapeuta e Coach

Mestre em Saúde

Especialista em Psicologia Transpessoal e Arteterapeuta

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário