abr 11, 2017 - Autoconhecimento, Reflexão    2 Comments

Qual oportunidade está acenando para você?

Atenção, este texto está inacabado e ao final dele você será convidado a continuá-lo.

.

.

.

Amanheceu belamente.

Diariamente o sol nos dá um espetáculo, mas naquela manhã, foi especial.

Em tons rosáceos e azuis, céu de algodão doce, sol iluminando, convidando o dia a despertar encantos.

Minutos depois… fez-se a chuva. Céu carregado, cinza e pesado. E assim, o dia clareou, e assim, o dia escureceu.

Quem acordou cedo, pode contemplar um belo amanhecer. Quem acordou tarde, só viu a chuva.

Alguns viram os dois.

A chuva também tem a sua beleza. Afinal, cada momento  reserva um presente. Mas, o que eu gostaria de lembrar é…

De uma hora para outra, tudo pode mudar.

São singelos instantes que nos convidam a prestar a atenção. Cada momento é precioso, de verdade. Esse exato, em que você me lê, enquanto observa a sua respiração, escuta os sons a volta… Momento único, nunca se repetira. Mesmo que logo mais você faça  exatamente a mesma coisa.

Já disse o filósofo, ninguém entra duas vezes no mesmo rio. Você não será o mesmo, nem o rio.

E as oportunidades, sim, era sobre isso que eu queria te falar. Oportunidades são muitas vezes como aquele nascer deslumbrante  do sol, que reluz por alguns instantes, e pode ser seguido de um temporal cinzento.

Oportunidades surgem… no trabalho, no amor, seja onde for… brilham como o sol que desponta no horizonte, acenando uma esperança.

Mas o tempo é finito, e tudo passa.

Oportunidades… se você não abraçá-las, elas se vão.

Algumas oportunidades duram horas, semanas, meses, anos… ali, te acenando com simpatia, como um placa neon na escuridão.

– Estou aqui, estou aqui!!! Me vejaaaa!!!

Mas, anestesiado pela rotina, sobrecarregados de tarefas hercúleas, perdidos no próprio umbigo, lambendo as próprias feridas ou distraídos com qualquer coisa de fora, muitas vezes não percebemos as belas oportunidades que a vida nos oferece.

Pensamos que elas estarão lá para sempre.

Só que não.

O tempo anda escorrendo ininterruptamente e quando voce vê…

Não está mais lá:

o livro, a casa, o sol, a pessoa,

o sonho, a musica, a dança, a criança,

a flor, o abraço, o olhar,

o curso, o trabalho, o cheiro,

o calor, o sabor, o convite,

a viagem, a passagem…

a oportunidade.

Partiu. Morreu. Desapareceu. Sumiu.

E agora?

Espero que este não seja o fim.

Continua o texto, para mim? 

.

.

.

… eu continuei, assim: 

O passado passou, o futuro nem chegou.

À oportunidade perdida, a minha despedida.

Olho atenta para onde estou.

Aqui e agora.

Avisto tesouros. Avisto jardins. Cuidarei destes.

Minha oportunidade é o meu presente.

É tudo que tenho agora.

É tudo que sou.

Abraço este bonito infinito.

Respiro.

Descanso da preocupação.

A oportunidade sempre se renova, a cada respiração.

Se não aquela, leite derramado.

Outra virá, doce e fresca.

…se perdi, não era meu.

Preste atenção.

Agora mesmo…

Qual a oportunidade está acenando para você?

Gabriele Ribas – Escritora e Coach de Escrita

Se preferir, você pode escutar este texto com a minha voz:

2 comentários

  • Para continuar esse texto me arrisco a dizer:
    Na incerteza do futuro o medo, muitas vezes, não deixa chegar.
    Na nostalgia do passado paraluzamos sem um passo dar.
    Mas no presente…ah esse presente…nos impulsiona sem nem mesmo nos tocar.
    Portanto, chega de esperar, vamos adiante, pra frente, “adelante” que assim vamos construindo novas realidades e aproveitando, até mesmo, o luar.

    Bjos

    • Linda! Gratidão pelo seu presente enluarado 🙂

Tem algo a dizer? Deixe seu comentário